Receba Grátis Nossas Atualizações

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

O que é Apostasia ?

,

INTRODUÇÃO 


 

      

APOSTASIA (Gr. apostasia, αποστασια “um abandono ou deserção da fé”).

Embora a palavra grega seja usada apenas duas vezes no NT (At 21.21; 2 Ts 2.3), ela é encontrada na LXX várias vezes, como em Josué 22.22, para expressar a rebelião do povo de Deus, e em 2 Crónicas 29.19 em que vasos santificados do Templo foram lançados fora. A apostasia só é possível para cristãos nomi­nais. No caso de crentes verdadeiros, as Es­crituras declaram que Deus ou os traz de vol­ta através do sofrimento e castigo (1 Co 11.29,30; 1 Co 5.5) ou os remove através da morte (1 Co 11.30). No caso de apóstatas, embora possa permitir que permaneçam, Deus retira deles toda a possibilidade de ar­rependimento e salvação (Hb 6.1-6; 10.26-31). A apostasia deve ser diferenciada da igno­rância ou da falta de conhecimento, bem como da heresia, que é um conhecimento er­rado (2 Tm 2.25,26). Os homens podem ser salvos da ignorância, mas não da apostasia. Ela é caracterizada por uma rejeição delibe­rada da Divindade de Cristo (1 Jo 2.22,23; Judas 4) e sua morte expiatória (Fp 3.18; 2 Pe 2.1; Hb 10.29).

 

Desenvolvimento Ou Argumentação




Hb 3.12 “Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vos um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo

A apostasia (gr. apostasia αποστασια ) aparece duas vezes no NT como substantivo (At 21.21; 2 Ts 2.3)

e,      aqui em Hb 3.12, como verbo (gr. aphistemi, traduzido “apartar”). O termo grego é defini­do como decaída, deserção, rebelião, abandono, retirada ou afastar-se daquilo a que antes se estava ligado.

(1)    Apostatar significa cortar o relacionamento salvífico com Cristo, ou apartar-se da união vital com Ele e da verdadeira fé nEle (ver o estudo FE E GRAÇA, p. 1704). Sendo assim, a apostasia individual é possível somente para quem já experimentou a salvação, a regenera­ção e a renovação pelo Espírito Santo (cf. Lc 8.13; Hb 6.4,5); nao é simples negação das doutrinas do NT pelos inconversos dentro da igreja visível. A apostasia pode envolver dois aspectos distintos, embora relacionados entre si: (a) a apostasia teológica, i.e., a rejeição de todos os ensinos originais de Cristo e dos apóstolos ou dalguns deles (1 Tm 4.1; 2 Tm 4.3); e (b) a apostasia moral, i.e., aquele que era crente deixa de permanecer em Cristo e volta a ser escravo do pecado e da imoralidade (Is 29.13; Mt 23.25-28; Rm 6.15-23; 8.6-13).

(2)    A Bíblia adverte fortemente quanto à possibilidade da apostasia, visando tanto nos alertar do perigo fatal de abandonar nossa união com Cristo, como para nos motivar a perseverar na fé e na obediência.
O propósito divino desses trechos bíblicos de advertência não deve ser enfraquecido pela idéia que afirma: “as advertências sobre a apostasia são reais, mas a sua possibilidade, não”.
Antes, devemos entender que essas advertências são como uma realida­de possível durante o nosso viver aqui, e devemos considerá-las um alerta, se quisermos alcançar a salvação final. Alguns dos muitos trechos do NT que contêm advertências são: Mt 24.4,5,11-13; Jo 15.1-6; At 11.21-23; 14.21,22; 1 Co 15.1,2; Cl 1.21-23; 1 Tm 4.1,16; 6.10- 12; 2 Tm 4.2-5; Hb 2.1-3; 3.6-8,12-14; 6.4-6; Tg 5.19,20; 2 Pe 1.8-11; 1 Jo 2.23-25.

(3)    Exemplos da apostasia propriamente dita acham-se em Êx 32; 2 Rs 17.7-23; SI 106; Is

I.    2-4;          Jr 2.1-9; At 1.25; G1 5.4; 1 Tm 1.18-20; 2 Pe 2.1,15,20-22; Jd 4,11-13.Segundo a Bíblia,A apostasia ocorrerá dentro da igreja professa nos últimos dias desta era.

(4)    Os passos que levam à apostasia são:

(a)    O crente, por sua falta de fé, deixa de levar plenamente a sério as verdades, exortações, advertências, promessas e ensinos da Palavra de Deus (Mc 1.15; Lc 8.13; Jo 5.44,47; 8.46).

(b)    Quando as realidades do mundo chegam a ser maiores do que as do reino celestial de Deus, o crente deixa paulatinamente de aproximar-se de Deus através de Cristo (4.16; 7.19,25;


(c)    Por causa da aparência enganosa do pecado, a pessoa se torna cada vez mais tolerante do pecado na sua própria vida (1 Co 6.9,10; Ef 5.5; Hb 3.13). Já não ama a retidão nem odeia a iniquidade (ver 1.9 nota).

(d)    Por causa da dureza do seu coração (3.8,13) e da sua rejeição dos caminhos de Deus (v. 10), não faz caso da repetida voz e repreensão do Espírito Santo (Ef 4.30; 1 Ts 5.19-22; Hb 3.7-11).

(e)    O Espírito Santo se entristece (Ef 4.30; cf. Hb 3.7,8); seu fogo se extingue (1 Ts 5.19) e seu templo é profanado (1 Co 3.16). Finalmente, Ele afasta-se daquele que antes era crente (Jz 16.20; SI 51.11; Rm 8.13; 1 Co 3.16,17; Hb 3.14).

(5)    Se a apostasia continua sem refreio, o indivíduo pode, finalmente, chegar ao ponto em que não seja possível um recomeço, (a) Isto é, a pessoa que no passado teve uma experiência de salvação com Cristo, mas que deliberada e continuamente endurece seu coração para não

atendei à voz do Espírito Santo (3.7-19), continua a pecar intencionalmente (10.26) e se recu­sa a arrepender-se e voltar para Deus, pode chegar a um ponto sem retomo em que não há mais possibilidade de arrependimento e de salvação (6.4-6; Dt 29.18-21 nota; 1 Sm 2.25 nota; Pv 29.1 nota). Há um limite para a paciência de Deus (ver 1 Sm 3.11-14; Mt 12.31,32; 2 Ts 2.9-11; Hb 10.26-29,31; 1 Jo 5.16). (b) Esse ponto de onde não há retomo, não se pode definir de antemão. Logo, a única salvaguarda contra o perigo de apostasia extrema está na admoestação do Espírito: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações ( 3.7,8,15; 4.7).

(6)     É próprio salientar que, embora a apostasia seja um perigo para todos os que vão se desviando da fé (2.1-3) e que se apartam de Deus (6.6), ela não se consuma sem o constante e deliberado pecar contra a voz do Espírito Santo (ver Mt 12.31, nota sobre o pecado contra o Espírito Santo).

(7)     Aqueles que, por terem um coração incrédulo, se afastam de Deus (3.12), podem pensar que aindá são verdadeiros crentes, mas sua indiferença para com as exigências de Cristo e do Espírito Santo e para com as advertências das Escrituras indicam o contrário. Uma vez que alguém pode enganar-se a si mesmo, Paulo exorta todos aqueles que afirmam ser salvos: “Examinai-vos a vós mesmos se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos” (ver 2 Co 13.5 nota).

(8)     Quem, sinceramente, preocupa-se com sua condição espiritual e sente no seu coração o desejo de voltar-se arrependido para Deus, tem nisso uma clara evidência de que não come­teu a apostasia imperdoável. As Escrituras afirmam com clareza que Deus não quer que nin­guém pereça (2 Pe 3.9; cf. Is 1.18,19; 55.6,7) e declaram que Deus receberá todos que já desfrutaram da graça salvadora, se arrependidos, voltarem a Ele (cf. G1 5.4 com 4.19; 1 Co 5.1-5 com 2 Co 2.5-11; Lc 15.11-24; Rm 11.20-23; Tg 5.19,20; Ap 3.14-20; note o exemplo de Pedro, Mt 16.16; 26.74,75; Jo 21.15-22).

 

Para que um processo de apostasia (gr. apostásis, afastamento, abandono premeditado e consciente da fé cristã) alcance níveis ou proporções gigantescas, uma série de fatos se sucede. Os grandes desastres, calamidades, tragédias e quedas se iniciam com “pequenas” concessões, acomodações e descuidos na vida espiritual, que acabam com o passar do tempo se manifestando na vida moral de pessoas, comunidades e povos. Na base destas concessões, acomodações e descuidos está o afastamento da leitura e estudo das Escrituras, e a falta de regularidade na prática da oração. A história de Israel, da igreja e da vida pessoal dos filhos de Deus nos prova isso.

 

O contexto histórico onde Elias e Eliseu atuaram vivia as calamidades resultantes de anos de negligência e distanciamento de Deus e da sua Palavra (Escrituras e intervenções proféticas), alcançando uma condição deplorável e sem antecedentes (1 Rs 16.30-33). Havia uma crise sem igual instaurada, e que diante do alto nível de apostasia alcançado, já tinha conseguido entorpecer a consciência de reis, sacerdotes, profetas e da grande maioria do povo. Antes de Acabe reinar em Israel,6 Reis subiram ao trono, Todos eles eram maus, porém a bíblia diz que Acabe era pior que todos que lhe antecederam, Ele casou-se com Jesabel,que por sua vez introduziu em Israel o culto aos deuses cananeus, daí a grande apostasia, pois todo o povo de Deus estava agora sendo influenciados a adoração pagã, Deus então de repente levanta o Profeta Elias para combater a esta apostasia e idolatria de sua época.
 
Bibliografia:
 
Bíblia de estudo Pentecostal
Dicionário Wycliffe.

 

0 comentários to “O que é Apostasia ?”

Postar um comentário

 

GOSPEL MAIS

CPADNEWS.com.br

GOSPEL PRIME

Widget gerado por Gospel Prime

Copyright © 2012 | Template design by O Pregador | Powered by Blogger Templates